Passar para o Conteúdo Principal Top

Os SMAS

os_smas

O abastecimento de água ao Concelho de Vila Franca de Xira iniciou-se nos anos 30 com a distribuição de água à sede do Concelho através de marcos fontenários, tendo já como principal fornecedor a EPAL, (antiga CAL).

Mais tarde, em 1947 já existiam 211 consumidores entre domésticos e industriais/comerciais.

Em 1960 são criados os SMA (Serviços Municipalizados de Água), passando com a integração do saneamento, em 1982, a ser denominados SMAS (Serviços Municipalizados de Agua e Saneamento).

Até 1974, são efectuados prolongamentos de acordo com as necessidades, a partir das redes existentes, desde a zona de Vialonga, a Sul, até à Vala do Carregado, no extremo Norte do Concelho.

A partir de 1974 e com as alterações efectuadas ao nível do poder local, lançam-se as bases para a cobertura total do Concelho, com as infra-estruturas necessárias. Executam-se então, os planos gerais de urbanização e respectivos planos de pormenor, peças fundamentais a uma gestão, minimamente equilibrada, das zonas de maior pressão urbanística, nomeadamente as de Alverca do Ribatejo e Póvoa/Vialonga.

Também o controlo da qualidade da água fornecida passa a ser uma prioridade levando à criação, em 1985, do Laboratório de Análise de Águas de Consumo.

Aquando da realização das Jornadas de Desenvolvimento do Concelho de Vila Franca de Xira, em Novembro de 1987, os objectivos de desenvolvimento integrado do Concelho, manifestavam já a necessidade da execução dum plano que congregasse os interesses das populações e uma definição clara do seu desenvolvimento, particularmente no que se refere ao abastecimento de água e à recolha e drenagem de águas residuais.

No entanto, e porque alguns aspectos fundamentais, ultrapassam a mera questão física dos limites do Concelho, pertencendo a um campo mais vasto de integração e gestão regionais, nomeadamente relações inter-municipais e com a própria EPAL, concebeu-se o Plano Geral de Abastecimento de Água, como aglutinador das necessidades actuais e como referência para avaliação das decisões a tomar, proporcionando uma mais adequada gestão do sistema de abastecimento de água.

É também nesta altura, efectuado o Estudo Prévio de Saneamento do Concelho de Vila Franca de Xira.

Devido a este esforço no sentido de se cobrir o Concelho com todas as infra-estruturas passa-se duma cobertura da ordem dos 64% em 1974 para 98% em 1981, no abastecimento de água, e de 95% na recolha e drenagem de águas residuais.

Em 1994 é instalado um Laboratório de Controlo Metrológico, acreditado pelo Instituto Português de Qualidade, pertencente ao Sistema Nacional de Qualificação, para verificação e reparação de contadores de água potável fria até ao calibre de 20 mm.

Atendendo às características urbanas e rurais do concelho encontram-se em funcionamento 11 estações de tratamento de águas residuais domésticas situadas nas zonas rurais, de forma a salvaguardar a qualidade das águas subterrâneas dos furos e poços com grande predominância nessas zonas. Os resultados do tratamento são então analisados no Laboratório de Análise de Águas Residuais criado em 1995.

Já nesta altura os níveis de cobertura do Concelho eram, em termos de abastecimento de água domiciliária e para as indústrias de 100% e de recolha e drenagem de águas residuais de 98%.

Em 1999 entra em funcionamento a telegestão do sistema de abastecimento de água do concelho.

Em 2002 o tratamento de efluentes, nas áreas já abrangidas, passam para a empresa multimunicipal SIMTEJO, concessionária desta actividade no concelho de Vila Franca de Xira, bem como a construção e exploração de duas grandes ETAR’s, localizadas em Vila Franca de Xira e Alverca do Ribatejo, que receberão os efluentes domésticos e industriais das freguesias com maior concentração de população, atingindo-se assim 100% do tratamento dos efluentes.

Em 2007 entrou em funcionamento a ETAR de Vila Franca de Xira e em Dezembro de 2010 a de Alverca do Ribatejo.

Actualmente os Serviços contam com cerca de 70.000 clientes.