Passar para o Conteúdo Principal Top

Redes Prediais

Princípios gerais da rede predial de abastecimento de água

Na concepção geral de sistemas prediais de abastecimento de água deverão ser seguidos, para além da legislação em vigor e do Regulamento de Distribuição Pública de Água do concelho de Vila Franca de Xira, um conjunto de aspectos gerais que contribuem para um melhor desempenho e operacionalidade da própria rede, nomeadamente: 

  • Nos edifícios com mais de um local de consumo, exceptuando as áreas destinadas a lojas, deverá ser prevista a colocação dos contadores em bateria, a instalar ao nível do rés-do-chão ou da 1ª cave, em local de uso comum e de fácil acesso;
  • Para moradias a localização do contador deverá ser prevista em local com acesso a partir do espaço público, preferencialmente no muro delimitador da propriedade privada;
  • As Redes de Incêndio Armadas (RIA) no interior dos edifícios têm obrigatoriamente de ter um ramal independente e prever a colocação de um contador específico com um by-pass de diâmetro idêntico ao da RIA, devidamente selado, o qual será aberto numa situação de incêndio (o procedimento de abertura do by-pass, em caso de sinístro, deverá estar definido no plano de evacuação e segurança do edifício);
  • Numa rede predial é expressamente proibido a coexistência de água fornecida pelos SMAS e de outras origens tais como furos ou poços. No caso de existirem deverão ter uma rede separativa perfeitamente identificada.

Princípios gerais da rede predial de drenagem de águas residuais domésticas e águas pluviais

Na concepção geral de sistemas prediais de drenagem, deverão ser seguidos, para além da legislação em vigor e do Regulamento de Drenagem de Águas Residuais do Concelho de Vila Franca de Xira, um conjunto de aspectos gerais que contribuem para um melhor desempenho e operacionalidade da própria rede, nomeadamente:

  • Todos os ramais de ligação às redes públicas de drenagem de águas residuais domésticas e águas pluviais terão um diâmetro mínimo exterior de 200 mm e o material a utilizar será o PP ou PVC corrugado SN8 KN/m2;
  • Nos colectores prediais enterrados o diâmetro nominal mínimo admissível entre câmaras de inspecção é de 140mm;
  • Em todas as instalações sanitárias de edifícios com mais de um piso, deverá ser prevista a instalação de dois tubos de queda, um para as águas saponácias e outra para as águas da bacia de retrete;
  • É obrigatório a execução de duas câmaras de início de ramal, uma para a rede doméstica e outra para a rede pluvial, implantadas na extremidade de jusante dos sistemas prediais, localizadas preferencialmente fora da edificação;
  • Em zonas onde se preveja a produção de elevadas quantidades de gorduras, nomeadamente em restaurantes, talhos, peixarias ou semelhantes, deverá ser prevista a instalação de câmaras de retenção de gorduras para separação do efluente a montante da descarga, de acordo com a lei em vigor;
  • Em zonas onde se preveja a produção de elevadas quantidades de hidrocarbonetos, nomeadamente em oficinas ou semelhantes e em caves de edifícios onde exista estacionamento, deverá ser prevista a instalação de câmaras de retenção de gorduras para separação do efluente a montante da descarga, de acordo com a lei em vigor.

Organização e Apresentação dos Projectos

O processo do Projecto da especialidade deverá ser instruído e organizado de acordo com a legislação geral em vigor, devendo conter no mínimo os seguintes elementos (3 cópias);

 

Rede Água

Peças Escritas

  • Termo de responsabilidade do Autor do projecto;
  • Fotocópia do Bilhete de Identidade do Técnico ou cartão do cidadão;
  • Declaração de inscrição em associação pública de natureza profissional;
  • Memória descritiva e Justificada da solução proposta, incluindo todos os cálculos hidráulicos das redes projectadas e dos órgãos que as integram;
  • Especificações técnicas dos materiais, da sua aplicação e ensaio

Peças Desenhadas

  • Planta da localização à escala 1/2000;
  • Planta de implantação com a indicação da localização do(s) ramal(is) de ligação e da cota de soleira do edifício, à escala adequada (máximo de 1/200);
  • Corte esquemático ou esquema isométrico; Plantas de todos os pisos com a localização de todos os dispositivos, traçados das tubagens, material e respectivos diâmetros, à escala adequada (mínimo 1/100);
  • Desenhos de pormenor tidos como indispensáveis à boa interpretação do projecto e execução dos trabalhos em obra.
Rede de Drenagem (domésticas e pluviais)

Peças Escritas

  • Termo de responsabilidade do Autor do projecto ;
  • Fotocópia do Bilhete de Identidade do Técnico ou Cartão do Cidadão;
  • Declaração de inscrição em associação pública de natureza profissional; Memória descritiva e Justificada da solução proposta, incluindo todos os cálculos hidráulicos das redes projectadas e dos órgãos que as integram;
  • Especificações técnicas dos materiais, da sua aplicação e ensaio;

Peças Desenhadas

  • Planta da localização à escala 1/2000;
  • Planta de implantação com a indicação da localização do(s) ramal(is) de ligação e da cota de soleira do edifício, à escala adequada (máximo de 1/200);
  • Plantas dos pisos que incluam os traçados das tubagens, com indicação das características (diâmetro, inclinação, material, …) e a localização dos dispositivos, à escala adequada (mínimo 1/100);
  • Corte(s) esquemático(s) do edifício que inclua uma cozinha e uma casa de banho;
  • Desenhos de pormenor tidos como indispensáveis à boa interpretação do projecto e execução dos trabalhos em obra.

Procedimento

Procedimento